Scroll Top

Qualificação Profissional Reflexão

Como lidar com seu lado vulnerável no trabalho?

Como lidar com seu lado vulnerável no trabalho?

Talvez você pense que este tema nada tenha a ver com a sua realidade, mas lhe afirmo que logo nas próximas linhas você irá se identificar. É mais comum do que se imagina. Apesar de que na sociedade em que vivemos, ser vulnerável é sinônimo de vergonha.

Alguém que não tenha medo de parecer vulnerável aos olhos dos outros pode ser considerado um indivíduo corajoso. Porque arrisca, luta, fracassa, vence.

Todos nós sentimos medo em vários momentos da vida, e isto é normal. O que não é muito saudável tem relação com o ato de se esconder por trás de uma personagem ou mais comumente usar uma “máscara”.

Principalmente no trabalho, as pessoas têm mais dificuldade de demonstrar seu lado vulnerável. Estamos inseridos em uma cultura do sucesso, do status quo, da felicidade e etc. Mas temos que entender um pouco melhor sobre a vulnerabilidade, e que ela não impede de termos sucesso, sermos admirados e felizes.

Se na empresa onde você trabalha diariamente ou quase todo dia, incentiva-se a negação da vulnerabilidade, com certeza haverá muita gente infeliz. Acarretará problemas de ordem emocional nos seus funcionários e desavenças.

Se não temos espaço para cometer erros, não somos livres. Sentimo-nos permanentemente culpados. E a partir daí, não produzimos como poderíamos, por não existir motivação.

O ideal é que as empresas possam trabalhar a vulnerabilidade de seus colaboradores a fim de que estes se sintam livres e criativos, e que explorem melhor seus potenciais, agregando valor e produtividade para os negócios.

Um bom líder sempre age receptivamente e se mostra interessado nas emoções e sentimentos de sua equipe. Um bom colega idem.

Compartilho com vocês um artigo muito legal sobre este tema da vulnerabilidade.

“Ultimamente todo mundo parece estar compartilhando artigos sobre ser autêntico no trabalho, porém, não muito como ser vulnerável”. Quando escolhemos ser autênticos, podemos ser o nosso verdadeiro eu, enquanto ser vulnerável é frequentemente visto como se nos abríssemos para críticas e rejeição. Você se sente um pouco exposto. No entanto, ser vulnerável é ser autêntico em sua forma mais verdadeira.

Ser autêntico é permitir a melhor versão de si mesmo para passar. Ser vulnerável é ter a coragem de se tornar o melhor de si. Vulnerabilidade não é apenas sobre como deixar os outros verem as suas fraquezas, mas permitir que você as compartilhe com os outros, apesar das reações.

Gerentes e empregados muitas vezes têm medo de serem vulneráveis porque está isto associado à fraqueza. Brene Brown, o padrinho (neste caso, madrinha) de vulnerabilidade, diz, “vulnerabilidade soa como verdade e se sente como coragem. Verdade e coragem nem sempre são confortáveis, mas elas nunca são fraquezas.”.

Por que você deve sair da sua zona de conforto?

Aqui estão quatro razões para dar o salto:

1. Vulnerabilidade significa muitas vezes autoconsciência. Somos todos vulneráveis, se vamos ou não tentar escondê-la é outra história. Se conscientemente nos permitirmos ser vulneráveis, especialmente no local de trabalho, nos tornamos conscientes das áreas em que podemos melhorar, bem como reconheceremos nossos pontos fortes. Vulnerabilidade ajuda-nos para saber o que trabalhar mais em nós mesmos e quando usar recursos que nos beneficiem, incluindo colegas de trabalho, amigos e familiares. Ela pode encorajar-nos a procurar conhecimento em livros ou na Internet. Da mesma forma, você vai se sentir mais confiante com seus pontos fortes.

2. Vulnerabilidade faz acessível. Quando você está aberto com as suas ideias, você permite que os outros falem abertamente sobre suas próprias ideias também. Eles se sentem seguros ao seu redor. Quando você é acessível, você constrói um jardim secreto de confiança onde os outros se sentem seguros.

3. Vulnerabilidade ajuda você a assumir riscos, levando à inovação. Quando você agitar o medo de ser criticado por tempo suficiente para compartilhar suas ideias com os outros, você vai correr mais riscos. Isso muitas vezes leva à inovação.

Brene Brown disse, “a vulnerabilidade é o berço de inovação, criatividade e mudança.”

4. A vulnerabilidade é o ponto ideal para o crescimento. Não muito tempo atrás, eu estava sendo constantemente convidado a acompanhar as pessoas ao piano. Não sou de maneira nenhuma boa em tocar piano e eu sempre dizia não. Quando uma pessoa insistiu, encontrei-me a fazê-lo um par de vezes por semana. Embora eu errasse às vezes, eu ficava mais como pianista durante esse tempo do que nos anos e anos que passei a praticar sozinha. Nossos medos seguram o nosso crescimento. Quando nos tornamos vulneráveis, em vez de focalizar a reação dos outros, vamos nos concentrar em nos expandir como ser humano.

John F. Kennedy disse, “não devemos deixar que nossos medos nos impeçam de perseguir as nossas esperanças.”

Cultura de Vulnerabilidade

Ter uma cultura de vulnerabilidade pode ser um terreno fértil para crescer as suas ideias mais fortes. Então, como você pode incentivar este tipo de cultura?

Embora qualquer pessoa possa fazer a diferença, os gestores são os catalisadores para permitir que outros venham a ser vulneráveis. Se um gerente admite erros, os membros da equipe sabem que podem fazer o mesmo e não serão punidos. Os gerentes precisam ser vulneráveis e os funcionários vão segui-los rapidamente, criando a cultura de vulnerabilidade. O local de trabalho vai se tornar um ambiente acessível.

Os gestores devem começar por falar com os funcionários e pedir-lhes ideias. Quando perguntam a minha opinião sobre um cenário, estou mais disposto a compartilhá-lo com os outros. Ele se constrói ao longo do tempo, mas pode ser trabalhado no dia a dia. Não se aproxime de funcionários com respostas pré-determinadas para os problemas. Em vez disso, ouça-lhes e implemente alguns destes problemas, dando-lhes mais coragem para serem vulneráveis.

Em um esforço para criar um ambiente de trabalho vulnerável, e no espírito de Americana, aqui está uma citação para inspirar a todos nós por Theodore Roosevelt: “Não é o crítico que conta; não o homem que aponta como o homem forte tropeça, ou onde o fazedor das ações poderia ter feito melhor. O crédito pertence ao homem que está realmente na arena, cujo rosto está sujo de terra, suor e sangue; que se esforça corajosamente; que erra, que segue de novo e de novo, porque não existe esforço sem erro e falha, mas que realmente se empenha para realizar as tarefas; quem sabe os grandes entusiasmos, as grandes devoções; que se passa em uma causa digna; quem no melhor sabe no final o triunfo das grandes realizações, e que na pior das hipóteses, se falhar, pelo menos fracassa ousando muito, de modo que seu lugar nunca será junto às almas frias e tímidas que não conhecem a vitória nem a derrota .”. (Anna Lim, via Linkedin).

Sobre o autor | Website

Curso Excel Passo a Passo Grátis!

Curso Excel Passo a Passo Grátis!

Coloque seu e-mail abaixo e receba uma série de 06 aulas de Excel Passo a Passo Gratuitamente!  a metodologia que já formou milhares de alunos em todo o Brasil!

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.